Como usar as cores do inverno

Oi pessoal, tudo bem? Minha amiga Priscilla Portugal escreveu esse texto sobre as cores Pantones mais usadas na Semana de Moda de NY, achei super bacana e resolvi compartilhar neste Studio Indica. Além de ela falar das tendências, ela acabou me entrevistando para saber mais sobre coloração pessoal e neste texto ela uniu as tendências sob o enfoque da coloração. Segue o texto abaixo!

—————–

tumblr_inline_o2yhbqrHQF1txbnjj_1280

Na semana passada, eu falei sobre o preto ter sido a cor predominante nas passarelas de Nova York. Mas é claro que não é a única!

A Pantone, empresa que tem a paleta de cores mais famosa do mundo, apresentou este mês as 10 tonalidades do outono/inverno 2016/17 (lembre que, no hemisfério norte, dezembro e janeiro representam o ápice do inverno, por isso falamos em 16/17). Veja na animação abaixo: #euquefiz

image

Com nomes como “mostarda apimentada”, “azul aéreo” e “pele de tubarão”, os tons não são pura invencionice da Pantone, não. A cada estação, para chegar a esta lista, os profissionais da marca pesquisam os principais desfiles e fazem um estudo de comportamento do consumidor. Pelas análises de passarela, por exemplo, os matizes que mais apareceram foram “Riverside” (o primeiro azul acima) – em 22% dos desfiles – e Airy Blue (o segundo azul), em 19%.

Já no quesito comportamento, a empresa avalia o momento que os consumidores vivem e seus anseios. “Com toda a angústia que existe por aí, temos uma necessidade de cores mais suaves e calmantes. Os céus azuis representam a constância, uma vez que estão sempre acima de nós. Os cinzentos dão-nos uma sensação de estabilidade. Os tons vermelhos convidam a confiança e calor, enquanto os roxos, o rosa forte e o amarelo-mostarda sugerem um toque de exotismo”, explicou ao site WWD a diretora executiva do Instituto Pantone, Leatrice Eiseman.

Interessante, né? Pois é. Mas e como trazer essas cores para o seu dia-a-dia?

Eu conversei com a minha amiga Luciana Ulrich, que é assessora de imagem e especialista em coloração pessoal, tsá? E ela me mostrou que a questão vai muito além de combinar. A verdade é que existem cores que favorecem tons de pele, de olhos e de cabelos e outras que depõem contra. Já reparou como quando você coloca uma determinada roupa parece que seu rosto se ilumina enquanto outras parecem ressaltar as olheiras, por exemplo? Pois é. “Culpa” da cor.

Resumidamente, funciona assim: algumas peles têm mais pigmento amarelado – são as peles “quentes” – e outras são mais rosadas – estas vão pedir por tons frios. Acompanhe aqui no blog que, logo, logo, vou falar mais disso e ajudar você a identificar a sua.

Mas, por ora, vamos à seleção da Pantone, nas palavras da Lu: “Primeiro vale anotar que tons clarinhos são lindos, porém, difíceis de usar, principalmente em looks de trabalho. Em segundo lugar, eu diria que a cor mais democrática desta paleta é o primeiro tom de azul, o Riverside. Cai bem com diversos tipos de pele e cabelo. O verde Lush Meadow também. Já o mostarda Spicy Mustard teria ressalvas para quem tem a pele mais rosada, e o cinza Sharkskin, para quem a tem dourada”, explica.

E ela lembra um detalhe importante: “Estas regras valem para maquiagem, blusas e acessórios que ficam perto do rosto, como lenços e cachecóis. Se você amou uma cor, mas ela te ‘apaga’, deixe-a para bolsas, sapatos ou calças e saias, aí não tem problema”, conclui.

Ah, as fotos que abrem a matéria são o look “airy blue” da Chanel na Alta Costura inverno 16/17 e o “sharkskin” da Yeezy, linha qe Kanye West criou para a Adidas.

assinaturas_StudioIndica_Priscilla

 

Priscilla Portugal

Priscilla Portugal é Jornalista especialista em Moda e Comunicação pelo Istituto Europeo di Design de Milão e mestre em Sociologia pela UFPR, trabalhou por quatro anos na revista IstoÉ Platinum e há um ano, atua como jornalista freelancer para veículos como as revistas Robb Report e Harper’s Bazaar e os sites Revista Glamour e As Meninas, além de ser colunista de moda do Yahoo!.

3 Comments

    • admin
    • admin