BLOG DA LU

Peles negras: contrastes e make

peles negras contraste e make

Eu sempre falo que o Brasil tem uma miscigenação única e que tenho muito orgulho de ter realizado mais de 10.000 testes por aqui. Acabei adquirindo uma experiência ampla, que passa por peles negras, orientais e brancas. O resultado é que o Método Sazonal Expandido Studio Immagine é muito eclético – enquanto os métodos americanos e europeus privilegiam peles caucasianas. Por isso, acredito que é fundamental entender a teoria global, mas saber aplicar localmente.

Foi na prática que percebi, por exemplo, que peles negras também têm contraste baixo escuro. Vocês sabiam? Se eu confiasse apenas na literatura internacional, teria certeza de que esse tipo de pele só tem contraste médio. Mas, não. Fiz muitas pesquisas sobre o tema e consegui provar que algumas afirmações sobre peles negras não passam de mitos. Por exemplo, há quem diga que a pele com profundidade sempre será́ quente, mas nos testes não é isso que percebo. Temos muitas peles negras aqui no Brasil que são frias.

Depois desse processo investigatório criei o material de baixo contraste escuro para incluir no kit de contraste da Studio Immagine e sempre faço questão de compartilhar nas minhas redes essas descobertas. No YouTube, por exemplo, fizemos esse teste com a Débora Luz e o primeiro episódio do reality Colorlab na Real com a Beth Portella, além de outros vídeos superbacanas. No Instagram, que fica aqui, falo sempre sobre vários tipos de peles.

Por tudo isso, fiquei muito contente quando vi esta semana os resultados do estudo “Pele Negra”, uma pesquisa da Avon em parceria com a consultoria Grimpa e o Google que mostra quais são as principais buscas e dificuldades das mulheres na hora de comprar itens de maquiagem para peles negras, em especial produtos como pó e corretivo – que estão intimamente ligados ao tom de pele.

“No mundo todo, nos últimos quatro anos, negras, latinas e asiáticas são as consumidoras que mais procuram produtos de beleza que representem suas etnias”, diz a pesquisa. Olhem só isso:

E ainda: “Devido à falta de opções de produtos com tonalidades compatíveis com a pele negra no mercado, as consumidoras pretas e pardas se tornam mais exigentes ao procurar um produto, e, por isso, frequentemente apostam em curadoria”.

peles negras make e contraste

Para encerrar, queria trazer apenas mais dois dados: 14% das mulheres entrevistadas diz não saber combinar as cores de maquiagem com seu tom de pele e 6% diz não encontrar sua tonalidade no portfolio de produtos das marcas. Representatividade e conhecimento são fundamentais para mudar este cenário. E no quesito conhecimento, eu só posso sentir muito orgulho de trabalhar com coloração pessoal.

Se você que está lendo esse post é negra e está com dificuldade de acertar na make me conta?

E se quiser saber mais sobre contraste pessoal, está superconvidada para ver esse vídeo aqui.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

X