BLOG DA LU

Dia da mulher: empreender é ser protagonista

dia da mulher - empreendedoras

Hoje é o dia da mulher e a gente sabe que ainda está longe de conquistar a igualdade em várias áreas, infelizmente. Mas se tem algo que está nas nossas mãos, esse algo é construir uma carreira. Se você já passou pelos cursos da Studio sabe que nós damos a maior força para nossas alunas e ex-alunas! Afinal, apoiar o empreendedorismo feminino é um de nossos principais valores.

Empreender é tornar-se protagonista da própria vida. Como tudo, tem suas dores e delícias, e cada uma vive essa experiência de uma maneira. Por isso, nesse dia da mulher, convidei seis consultoras de imagem para me contarem como tem sido esse processo. Venham ver:

Aimée Villares Lima de Brito

“Eu me formei em psicologia na UFF em 2017, cheguei a estagiar em prática clínica por 2 anos, mas o tema do meu TCC falava sobre a fotografia na constituição subjetiva do homem. Depois, estudei animação e estava trabalhando com fotografia até chegar a pandemia. Resolvi, então, estudar maquiagem artística. Já tenho alguma experiência com maquiagem, mas queria entender mais sobre as cores. Fiz um curso de introdução à coloração pessoal, me apaixonei e quis me aprofundar fazendo o curso na Studio. Ainda quero estudar as cores pessoais em cosméticos e trabalhar essa questão da diversidade mais a fundo.

Quanto ao empreendedorismo, acredito que a maior dificuldade é a limitação da pandemia. Não só pela saúde, mas também pela dificuldade das pessoas de poderem pagar por uma consulta nesse momento. Eu moro na região metropolitana do Rio de Janeiro, um lugar menos voltado pra esse tipo de consumo. Mas espero ser uma das pessoas a quebrar essa ideia, já que quero aproveitar esse conhecimento adquirido com vocês e a psicologia para entender como as pessoas daqui gostariam de ser vistas e tornar a coloração mais acessível em termos de linguagem. Quero que as pessoas acreditem que a consultoria de imagem pode mudar a vida delas. O conceito que a Studio criou de trazer a beleza para nossas vidas de forma divertida me inspira.

O fato de a maior parte dos colaboradores da Studio ser mulher também é um ponto importante pra dar esse lugar de destaque a vocês entre as mulheres. A sororidade é algo que faz diferença. A grande maioria das pessoas com quem tenho contato diariamente online por conta dos cursos e pelas minhas amizades de anos são mulheres. São elas que compram minhas ideias e me apoiam, ainda que tenhamos outros milhares de afazeres no dia a dia”.

Angelita Gonçalves, Espírito Santo

“Eu sou casada, tenho 3 filhos e sempre me dediquei muito à família. Cheguei a fazer faculdade de fisioterapia, mas não terminei, e trabalhei com marcas de acessórios, porque sempre gostei de moda. Um dia, em um curso que fiz sobre propósito, almocei com uma menina que eu não conhecia e era consultora de imagem. Ela começou a me falar do trabalho dela e me identifiquei muito! Perguntei como começar e ela me falou da Studio. E você, Lu, me direcionou para vários cursos, como o de formação e a Fábrica de Negócios, que foi uma benção porque eu nunca tinha aberto uma empresa, com espaço físico. Então, comecei a trabalhar com minha filha que faz marketing digital.

Vou começar meus atendimentos agora, pois o lugar onde vou trabalhar aqui no Espírito Santo acaba de ficar pronto. Meu foco é trabalhar com mulheres de mais de 40 anos. Quero que elas se olhem no espelho, se amem, reconheçam sua essência e entendam como são belas. Isso não tem preço para mim.

Sobre a sororidade, acho que tem espaço pra todo mundo e a competitividade atrapalha. A gente poderia, por exemplo, indicar clientes umas para as outras, porque cada uma tem um foco e atua em um nicho, né?”.

Cáren Cruz

“Sou formada em Relações Públicas com ênfase em Marketing, tenho MBA em Gerenciamento de Projetos e Políticas Públicas e hoje sou Consultora de Imagem e Estilo, analista em coloração pessoal especializada em belezas negras. Também sou aluna de diversos cursos da Studio Immagine, que validaram vários processos para os quais eu encontrava respostas limitadas no universo da pele negra no mercado brasileiro. Além disso, sou apaixonada pelos materiais de trabalho de vocês. Eles mudam completamente minha entrega para os clientes.

Hoje, sou CEO da marca Pittaco Consultoria, focada em potencializar a imagem do empreendedor e possibilitar o fortalecimento da sua marca. É uma função estratégica para a gestão de negócios. Hoje, a Pittaco é uma rede de fomento à liberdade de expressão por meio da imagem. A gente demonstra que a vestimenta é um ato revolucionário e capaz de decodificar o interior de cada indivíduo. E o mais importante: está disponível para todas as pessoas, independente da classe social e do tom de pele.

Empreender é uma montanha-russa: um misto de várias sensações atreladas àquele friozinho na barriga. Quem empreende sabe que temos um universo a desbravar e que a paixão pelo trabalho é o motivador do processo. Principalmente agora, durante a pandemia. Não é normal o que estamos passando. A gente está resistindo, se reinventando e criando novas oportunidades nesse cenário de crise.

Eu empreendo há mais de 13 anos e abri um estúdio próprio de consultoria de imagem agora, no meio de uma pandemia. Ao mesmo tempo em que me encontro feliz, fico assustada… Sei que empreender não significa acertar sempre, mas minha escolha foi certeira. A pandemia trouxe muita conscientização sobre o autocuidado e a profissão que escolhi está se tornando cada vez mais necessária para o momento. Todos os dias acordo revivendo lembranças do dia anterior de trabalho: as expressões de encantamento, descobertas, risos e trocas de afetos com as clientes. Isso é tão mágico, que me dá direção para fazer o que precisa ser feito: transformar pessoas positivamente”.

Fabiana Yumi Harakawa

“Eu sou formada em Administração de Empresas e trabalhei no mundo corporativo antes de fazer a minha transição de carreira. Fiz pós-graduação de Fashion Marketing and Communication no IED e cheguei a trabalhar em algumas marcas de roupa. Quando quis aperfeiçoar a maneira como me vestia, acabei fazendo um curso de extensão sobre isso e acabei conhecendo você. Neste primeiro curso me apaixonei pela profissão. Desde então fiz um curso de formação e fui fazendo a transição de carreira aos poucos: trabalhava durante a semana numa empresa e aos fins de semanas atendia como consultora de estilo. Até que a consultoria acabou tomando mais do meu tempo e resolvi ficar apenas com ela. A Studio me ajudou bastante e costumo brincar dizendo que crescemos juntas. Lembro de comprar as cartelas com você, na sua casa. Hoje, vejo como a empresa cresceu e sinto muita admiração!

Atualmente, eu atendo principalmente mulheres e muitas delas são descendentes de leste-asiáticas porque elas têm afinidade comigo. Além de fazer a consultoria de estilo completa, também faço a análise de coloração pessoal de forma avulsa. Acho que o que me faz ser única é o atendimento mais humano, entender as particularidades de cada uma, já que é comum entre as asiáticas ouvirmos que somos todas iguais, sabe?

Ser autônoma é ter meses bons e outros não tanto. É aprender a ser tudo: atendimento, financeiro, marketing… e gerir seu tempo e dinheiro. Mas claro que isso tem seu lado bom. Como atendo muito aos sábados e domingos, acabo tirando algum dia da semana pra resolver coisas pessoais.

Eu dou muito valor à sororidade: costumo conversar com consultoras em início de carreira e conto que nem tudo são flores, mas que é uma profissão gratificante. Costumo desmistificar o glamour que muitos acham que existe e mostrar que no final é ótimo ver o quanto ajudamos as nossas clientes, principalmente na questão da autoestima. Se eu pudesse escolher duas bandeiras pra levantar seriam: comprem de outras mulheres, porque tem muita empreendedora fazendo coisas incríveis, e não tenham medo das cores, pois elas podem expressar melhor quem somos”.

Paula Nadal

Sou jornalista de formação e trabalhei durante 7,5 anos em revistas da editora Abril, mas nunca na área de moda. Como tenho pós-graduação em Semiótica Psicanalítica, adoro analisar o significado das coisas e os símbolos. Hoje, trabalho em uma agência de RP, na área de inteligência criativa. A descoberta de que eu gostava de moda foi recente. Respondendo ao desafio de uns amigos, comecei a postar no Instagram tudo o que eu usava porque eles diziam brincando que eu deveria postar meus looks para virar blogueira. O legal é que isso foi um grande exercício: vi como compor minha imagem todos os dias era importante pra mim.

Há uns 3 anos comecei a fazer cursos de consultoria de imagem e fiz o curso de formação na Studio. Hoje a consultoria de imagem ainda é uma atividade paralela do meu dia a dia, mas vejo os aprendizados muito aplicados ao meu dia a dia como RP. É importante na estratégia de comunicação.

Quando penso na imagem de uma pessoa, penso nas liberdades que ela quer transmitir. Eu, por exemplo, gosto de trazer leveza e diversão. Por vezes até estranheza. Ensino as pessoas a comporem a imagem que querem transmitir no dia a dia. Eu busco ajudar os outros a encontrarem sua própria liberdade por meio da imagem. Minha visão é de sempre inovar e tenho planos, sim, de ter a minha própria empresa. O curso na Studio me ajudou a entender que sou capaz de empreender, me deu chancela para isso porque passei muito tempo achando que não era capaz.

Alguns dias atrás, falando com uma amiga do trabalho, ela me perguntou se eu me vestia de maneira proposital, já que, como trabalho em uma agência, lido com pessoas com diferentes níveis de formalidade. Eu disse que não quero causar, só quero ser eu mesma. Eu me adapto aos ambientes, mas dentro do que é meu estilo porque eu preciso me respeitar para respeitar o outro. E ela me falou que, como líder, quando eu banco essa imagem eu liberto todas as mulheres do meu time a serem elas mesmas.

É importante que a gente veja que cada uma pode ser única nos seus talentos e nas suas habilidades. Dessa forma, uma pode fortalecer a outra sempre. Ataques gratuitos são tão bobos e não fortalecem nosso talento, nosso espaço, nossa voz. Somos multitalentosas e temos muito a oferecer. Na consultoria de imagem, é mágico ver as clientes se encontrando. Competitividade não leva a lugar nenhum, mas a força multiplicada das mulheres é imbatível. É isso que a gente precisa fazer”.

Veridiana Franciscangelis de Godoy

“Minha formação acadêmica é em administração hoteleira. Enquanto estudava para me formar, em Washington, trabalhei no departamento feminino de uma loja de moda esportiva. Foi uma experiência rica, porque eu participava das reuniões onde as marcas apresentavam as coleções: as cores, os tecidos… e mergulhei a fundo nesse universo de moda, que eu já amava. Quando voltei pro Brasil, trabalhei com hotelaria em Brasília e percebi a importância do impacto que os uniformes tinham na recepção dos hóspedes.

Com o tempo, percebi que a hotelaria não trazia a qualidade de vida que eu queria. O mercado aqui em Brasília é focado em business, então eu tinha poucas folgas e um salário baixo. Me tornei, então, consultora e abri a marca Modo Chique Consultoria. Sempre prezei pelo autoconhecimento e por trazer autoestima para as mulheres e o que me torna única é a atenção que dou a minhas clientes e o cuidado que eu tenho com assuntos sensíveis – meu marido é psicólogo e aprendi com ele a entender até onde posso ir e que não posso abrir uma ferida que eu não possa fechar.

A Modo Chique cresceu muito em 2019 e terminei o ano sem espaço na agenda. Agora, estamos em um momento muito atípico. Mas sei que tem cliente para todo mundo e cada consultora tem seu estilo. Hoje eu diria que estou no ápice da minha carreira.

Uma das minhas maiores dificuldades foi encontrar um espaço físico aqui no Plano Piloto por um valor que funcionasse para mim, mas já deu certo. Como empreendedoras, a gente precisa lutar diariamente e eu me coloco uma meta semanal para ter qualidade de vida. É um grande prazer dizer que sou formada pela Studio Immagine e um grande diferencial de mercado é usar o material daí, que é muito bem-feito. Sem contar o colorapp, que as clientes ficam alucinadas. Esse apoio que a Studio dá pra gente eu não troco por nada no mundo.

A sororidade, aliás, é algo que sempre fez parte da minha vida. Tenho uma cliente que se tornou consultora de imagem e até hoje a gente conversa e troca figurinhas. Eu mesma no começo já mandei mensagens tirando dúvidas para outras consultoras na internet e elas sempre me responderam. Achava o máximo. E a Modo Chique foi criada mesmo para ajudar as mulheres”.

E a gente, aqui na Studio, morre de orgulho de todas essas empreendedoras, que se tornaram protagonistas de suas vidas, e deseja a todas um feliz dia da mulher!

Hoje, às 21h, acompanhem a live com as meninas no meu perfil do Insta, que vocês seguem clicando aqui.

Posts Relacionados

X